Hegel e a Tragédia Grega

Autor(es): Thibodeau, Martin

Editora: É Realizações


Avise-me


Produto indisponível no momento.

Caso deseje ser informado quando este produto estiver disponível em nosso estoque, digite seu nome e e-mail.

Nome:
Email:

Por que Hegel foi conduzido durante toda a elaboração de seu sistema filosófico – ao mesmo tempo que Schelling e Hölderlin – a se interrogar a respeito do sentido da tragédia grega que conheceu o apogeu no século V antes de Cristo? Este livro se propõe a demonstrar que a interrogação hegeliana sobre as obras de Ésquilo, Sófocles e Eurípides é estreitamente ligada ao projeto de radicalização e de suprassunção (superação dialética, que preserva algo do que foi superado) de parte do kantismo. Vincula-se, sobretudo, à defesa da tese segundo a qual o pensamento hegeliano da tragédia – em que o homem aparece ao mesmo tempo como estranho, inquietante, monstruoso e maravilhoso – incide naquilo que se pode chamar de destino da política. Pensar o sentido da tragédia, pensar o sentido dos conflitos ou das colisões nas quais ela consiste é pensar no que foi a política, no que ela se tornou na história e no que ela é no mundo moderno, que Hegel afirma ser "um tempo de gestação e transição" no "trabalho de sua própria transformação" e em vista de sua própria reconciliação.

ISBN: 978-85-8033-2001

Edição/Ano: 1ª edição, 2015

Paginas: 224

Encardenação: Brochura

Comprimento: 23,00 cm.

Largura: 16,00 cm.

Altura: 1,50 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.