Carlos Zara: Paixão em quatro atos

Autor(es): Carvalho, Tania

Editora: Imprensa Oficial do Estado




Por: R$ 30,00

Livro raro - COLEÇÃO: Aplauso Especial - A autora Tania Carvalho dedicou este seu novo livro sobre a vida e carreira do ator Carlos Zara, ao produtor André Mello que pesquisou e digitalizou o acervo e, em especial a Eva Wilma, a companheira de sua vida. "É impossível contar a vida do cidadão Antônio Carlos Zarattini, paulista de Campinas, nascido em 14 de fevereiro de 1930, sem falar de teatro, televisão, da arte de representar e do exercício de dirigir". Afinal, das décadas por ele vivenciadas, a maior parte delas foi passada nos estúdios de televisão e nos palcos teatrais, de onde saiu para o reconhecimento público como Carlos Zara. Zara formou-se engenheiro pela Escola Politécnica em 1956 e exerceu a profissão por oito anos. O teatro surgiu em sua vida, ainda no tempo da faculdade quando foi integrante do grupo de teatro amador do engenheiro Evaristo Ribeiro, em 1951. Em seguida ligou-se ao grupo amador da Poli. Em 1956, o teatro Bela Vista foi inaugurado com "Hamlet", o clássico de Shakespeare, dirigido por Sérgio Cardoso, tendo Carlos Zara como o rei Cláudio. A partir desse trabalho, ele assinou contrato com as Companhia Nydia Licia/Sérgio Cardoso e participou de dezenas de encenações como: "A Raposa e as Uvas", de Guilherme Figueiredo; "Quando as Paredes Falam", de Ferenc Molnar, "Casamento Suspeitoso", de Ariano Suassuna; "Chá e Simpatia", de Roberto Anderson; "O Comício", de Abílio Pereira de Almeida; "Henrique IV", de Pirandello. “Era uma companhia maravilhosa, com diretores como Bibi Ferreira, Flamínio Bolini, Ruggero Jacobbi, Ziembinsky e Sérgio Cardoso. Em 1982, junto com Eva Wilma, atuou em "Encontros e Desencontros", de Neil Simon, com direção de Gianni Ratto. Em final de 1984 a dupla encenou "Quando o Coração Floresce", com direção de Paulo Autran fazendo carreira de sucesso em muitas cidades brasileira, além de São Paulo e Rio de Janeiro. Zara foi um importante profissional da televisão brasileira. Participou do Grande Teatro Tupi, foi dirigido por Antunes Filho e Walter Hugo Khouri. Integrou elenco das novelas da TV Excelsior como "Corações em Conflito", "Onde Nasce a Ilusão", "Vidas Cruzadas", "O Tempo e o Vento", e "Dez Vidas". "'Dez Vidas', de Ivani Ribeiro e 'O Tempo e o Vento', de Érico Veríssimo, em adaptação de Teixeira Filho, onde fazia o capitão Rodrigo, são talvez os melhores trabalhos que fiz na minha vida". Foi na TV Tupi, por ocasião da novela "Mulheres de Areia" (1973), supervisionada por Zara, que se deu o encontro com Eva Wilma. Anos mais tarde (1980) seriam marido e mulher. "Pai Herói", marcou sua estréia na Rede Globo. Convidado por Janete Clair, fez papel de vilão da estória, César Reis. Na Globo participou de "Baila Comigo" (1981), "Guerra dos Sexos" (1983), "Champagne" (1983), "Sassaricando" (1987), entre outros trabalho. Um lado da carreira de Zara foi o de presidente do Sindicato dos Radialistas, em São Paulo, nos anos de 65 a 68. Na ocasião, a categoria conseguiu algumas vitórias, como a fixação de piso salarial e a retirada do seriado "Peyton Place" – que iria estreiar na TV Record e seria o primeiro enlatado. Tania Carvalho, autora de sua biografia, acredita que a carreira do ator deu grandes viradas de sete em sete anos - "ele trilhou o caminho certo, desde o momento em que pisou pela primeira vez em um palco". Zara morreu aos 72 anos.

ISBN: 85-7060-5234

Edição/Ano: 1ª edição, 2006

Paginas: 160

Encardenação: Capa Flexível

Comprimento: 31 cm.

Largura: 23 cm.

Altura: 1 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.