Farsa da Boa Preguiça

Autor(es): Suassuna, Ariano

Editora: José Olympio


Avise-me


Produto indisponível no momento.

Caso deseje ser informado quando este produto estiver disponível em nosso estoque, digite seu nome e e-mail.

Nome:
Email:

Em 1960, o jovem paraibano escreveu "Farsa da Boa Preguiça", apresentada toda em versos livres, com trechos musicais cantados, contendo citações de Camões, da bíblia e de orações. A peça é dividida em três atos, onde o autor consegue manter uma certa independência em relação ao conjunto, nomeando-os com subtítulos: "O Peru do Cão Coxo", "A Cabra do Cão Caolho" e "O Rico Avarento"; além disso ele inclui prólogo e conclusão. A força do arcaico é justamente sua contínua presentificação e, conseqüentemente, sua capacidade de se eternizar. A arte genuinamente popular se baseia nesse pensamento. Para transformar o local em simbólico e universal, Ariano Suassuna alia os valores mais arraigados de sua região a seu imenso arcabouço erudito e teórico. Com uma escrita que junta, a um só tempo, elementos do Simbolismo, do Barroco e da literatura de cordel e transforma o sertão no palco das questões humanas de qualquer lugar do mundo. "Farsa da Boa Preguiça", apesar do título, não chega a ser uma farsa propriamente dita, pois seu caráter religioso muito pronunciado deixa-a mais próxima da moralidade. Nela o riso é provocado pela utilização da linguagem informal da feira e praça pública, e que remete à cultura popular medieval e a carnavalização. 

ISBN: 978-85-0300-7306

Edição/Ano: 1ª edição, 2002

Paginas: 336

Encardenação: Brochura

Comprimento: 17,7 cm.

Largura: 11,6 cm.

Altura: 1,6 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.