Eles Não Usam Black-Tie

Autor(es): Guarnieri, Gianfrancesco

Editora: Grupo Record


Avise-me


Produto indisponível no momento.

Caso deseje ser informado quando este produto estiver disponível em nosso estoque, digite seu nome e e-mail.

Nome:
Email:

"Eles Não Usam Black-Tie", que sempre obteve excepcional êxito onde quer que seja encenada, tendo ganhado vários prêmios em sua versão cinematográfica, marcou o início do que pode ser chamado "o teatro novo brasileiro". A peça parte, sem dúvida, de uma visão de mundo romântica. Pressupõe uma série de valores básicos, imutáveis, através dos quais os problemas surgem, fazendo estourar conflitos em que os homens se debatem. Por outro lado, a peça apresenta muitos aspectos da realidade brasileira, fornecendo considerável material para reflexões. Os personagens, nascidos de contato direto com o ambiente, estão exemplarmente delineados. Principalmente Romana e Tião. A introdução de uma temática urbana, o conflito de classes, a atuação política de Otávio, o problema fundamental de Tião, são aspectos positivos que contribuem para o desenvolvimento da nova dramaturgia brasileira. "Eles Não Usam Black-Tie" foi montada pela primeira vez em 1958, no Teatro de Arena de São Paulo. Esteve, em seguida, um ano em cartaz no Rio de Janeiro e já apresentada em diversas capitais e cidades do Brasil, tendo obtido êxito também na Argentina, no Uruguai, no Chile e na Alemanha. Embora sua temática seja profundamente brasileira, "Eles Não Usam Black-Tie" possui uma universalidade de tal forma abrangente que o filme baseado na peça tem sido literalmente aplaudido onde quer que seja exibido. Sua narrativa, muito no estilo do folhetim, consegue se comunicar com qualquer tipo de platéia, transmitindo esse compromisso entre a clareza e a profundidade, entre a razão e o sentimento, essa tensão que se realiza numa síntese artística. A experiência vivida por gente que sofre os conflitos, as contradições, a recuperação de um espaço de participação política, o aumento do desemprego, o achatamento dos salários, o autoritarismo dentro das fábricas, a revolta dos jovens - enfim, todos esses problemas que estão aí, à nossa volta, são analisados na peça. Da mesma forma são discutidos os conflitos familiares, as contradições cotidianas, o problema da mulher através da reação intuitiva de Maria ou do comportamento de Romana. A chave para o grande sucesso de "Eles Não Usam Black-Tie" está na emoção que provoca no espectador e no leitor. 

ISBN: 978-85-2000-1820

Edição/Ano: 27ª edição, 2014

Paginas: 120

Encardenação: Brochura

Comprimento: 21,00 cm.

Largura: 14,00 cm.

Altura: 0,70 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.