Cinna

Autor(es): Corneille

Editora: Larrouse




Por: R$ 19,90

Livro raro - ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Antigo; As únicas rasuras são algumas frases sublinhadas; Regular. Edição em papel jornal, portanto com folhas amareladas, devido à ação do tempo. Capa, contracapa e lombada recuperadas, pois estavam soltas, e também com muitas manchas amareladas, devido à ação do tempo.

EDIÇÃO EM FRANCÊS - COLEÇÃO: Classiques Larousse -   “Cinna” foi representada pela primeira vez no fim de 1640 e provavelmente no teatro do Marais. O ator Mondory, alma desse teatro, que tinha criado o papel do “Cid”, vivia aposentado atingido pela apoplexia, mas Corneille continuava fiel à trupe. Posteriormente, o chefe da trupe rival do Hôtel de Bourgogne, Bellerose, retomou o papel de “Cinna”. O sucesso da peça foi grande e cumpriu longa temporada, pois foi somente depois de 2 anos que o autor a publicou, o que a fez cair em domínio público. O período de grande bilheteria durou até aproximadamente 1660, ou seja, enquanto estiveram presentes no espírito as agitações políticas cuja imagem o poeta havia fixado. Sob o reinado de Luís XIV, “Cinna” foi encenado 166 vezes, das quais 27 na corte, e constantemente admirado como uma das mais belas obras de Corneille. De 1680 a 1932, “Cinna” teve na Comédie Française 660 representações. O autor mandou imprimir a peça em Rouen por sua conta, tendo obtido os direitos autorais em seu nome, e a fez vender por um livreiro parisiense. Os direitos autorais datam de 1º de agosto de 1642, a impressão de 18 de janeiro de 1643. “Cinna” era dedicado ao M. de Montoron. Esse homem das finanças, contador geral da Guyenne, morava perto do teatro do Marais e se fez protetor dos atores. Corneille, que tinha muitas necessidades e pouco savoir-faire, dirigiu ao Mecenas vaidoso elogios desmedidos, em troca dos quais recebeu 200 pistoles, que equivaleriam a mais de 20.000 francos do nosso dinheiro. Em certa frase da dedicatória, percebe-se que Corneille compensava a avareza do rei defunto para com os letrados. 

ISBN: Não consta

Edição/Ano: 38ª edição, 1933

Paginas: 91

Encardenação: Brochura

Comprimento: 17 cm.

Largura: 11 cm.

Altura: 0,7 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.