Agamêmnon

Autor(es): Sêneca

Editora: Globo Livros




Por: R$ 29,00

EDIÇÃO BILÍNGUE: português/latim. TRADUÇÃO: Lohner, José dos Santos - O poema dramático "Agamêmnon", de Sêneca, é um dos mais importantes textos da literatura latina clássica (século I d. C.). A presente edição é, assim, devidamente bilíngue, com as páginas pares trazendo o original em latim, e as ímpares a tradução (a cargo de José Eduardo dos Santos Lohner, do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da USP). Tradução que, ainda em respeito ao original, adota o verso branco de 12 sílabas, ou seja, metrificado mas não rimado, como não rimada era a poesia da Antiguidade. A edição conta, também, com introdução, posfácio, notas, cronologia e bibliografia a cargo do tradutor. O tema central desse poema dramático (ou seja, texto que pode ser lido como um poema narrativo ou épico ou encenado como uma peça) é o conhecido assassinato de Agamêmnon por sua esposa Clitemnestra, quando aquele retorna vitorioso da guerra de Troia. O assassinato do rei é motivado, nesta ordem, por ele haver ordenado a morte de sua filha Ifigênia (em sacrifício aos deuses), por sua conduta adúltera nos dez anos de guerra e pela própria Clitemnestra ter agora outro homem. O plot grego original, de que parte Sêneca, é portanto já bastante impactante, a partir do enorme contraste entre as circunstâncias da vida recente de Agamêmnon e sua morte. Pois ele vivera dez anos entre guerreiros, e na condição de chefe supremo, para vir a morrer pelas mãos de uma mulher, e dentro de uma banheira. Mas se o plot básico é o mesmo, as diferenças são enormes. O poema dramático de Sêneca reflete uma série de profundas mudanças literárias, formais e político-culturais em relação ao seu modelo, a tragédia grega. Tais mudanças, por sua vez, estão na raiz do próprio mundo moderno. A diferença fundamental pode ser resumida pela diferença entre drama e tragédia. Pois drama e tragédia não se confundem, como crêem os noticiários de TV. Na síntese lapidar do prefácio, "à diferença da tragédia grega do século V, em que o homem aparece submetido a forças externas imponderáveis e incompreensíveis, que o oprimem e estão acima e além de sua influência, a poesia trágica senequiana é exclusivamente introspectiva. Nela, a catástrofe é representada como decorrência de um conflito tão-somente moral, oriundo no interior da alma e restrito ao âmbito psicológico, sendo, por isso, um conflito sobre o qual o homem poderia em princípio influir e exercer controle em algum nível". Essa introspecção representa um desenvolvimento da concepção ocidental de indivíduo, que ganhará nova força com a cultura do Renascimento (da qual Sêneca foi um dos grandes modelos) para então desaguar no mundo moderno. 

ISBN: 978-85-2504-6635

Edição/Ano: 1ª edição, 2009

Paginas: 256

Encardenação: Brochura

Comprimento: 20,7 cm.

Largura: 13,8 cm.

Altura: 1,9 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.