A Senhorita de Tácna

Autor(es): Llosa, Mario Vargas

Editora: Francisco Alves




Por: R$ 20,00

ESTADO DE CONSERVAÇÃO: Antigo; Sem rasuras; Ótimo. No corte superior da capa há um pequeno rasgo. Cortes das páginas amarelados, devido à ação do tempo. Na segunda capa há um pedaço pequeno de papel amarelo colado. Folha de guarda com uma mancha retangular amarelada.

TRADUÇÃO: Millôr Fernandes - TÍTULO ORIGINAL: "La Señorita de Tácna" - Mario Vargas Llosa, o romancista tantas vezes premiado, estreia em teatro com a peça "A Senhorita de Tácna". Trouxe para a dramaturgia seus "demônios", isto é, sua experiência vital, sua identificação com a classe média e sua simpatia para com os oprimidos. No microcosmo em que se enfrentam, e movem os personagens, Mario Vargas Llosa retrata um segmento urbano que, nem por isso, se abstrai dos grandes problemas do Peru: o nacionalismo, a estratificação e rigidez das classes, os grandes abismos sociais, a industrialização e o problema agrário, os tabus e a hipocrisia, os problemas do índio e do negro. Com isto, cria enfoques múltiplos e reveladores, sem mensagem demasiado explícita, mas sem dar as costas à sua responsabilidade social. Fica reservado ao leitor/espectador a decisão, após viver a obra como uma experiência a mais. Mostra-nos ainda o sistema que aliena, obrigando a determinadas condutas e condicionamentos, a mediocridade dos diversos personagens agarrados pela armadilha vital, seres insatisfeitos, anti-heróis sem grandeza, cujas virtudes e defeitos se confundem e entrelaçam. O bem e o mal resultam em dois lados da mesma impotência. Sobressaem Mamaé, a senhorita de Tácna, revolucionária a seu modo, que desiste de ver no casamento a "salvação", e o escritor Belisário, que se dispõe a escrever a peça a que assistiremos, em que fala de sonhos, angústias e fracassos existenciais de uma época e um Continente. (Bella Jozef)

ISBN: Não consta

Edição/Ano: 2ª edição, 1982

Paginas: 86

Encardenação: Brochura

Comprimento: 21,00 cm.

Largura: 12,60 cm.

Altura: 0,60 cm.

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.