A Análise dos Espetáculos - Teatro; Mímica; Dança; Dança-Teatro; Cinema

Autor(es): Pavis, Patrice

Editora: Perspectiva




Por: R$ 69,90

COLEÇÃO: Estudos - volume 196 - TRADUÇÃO: Sérgio Sálvia Coelho - Desenvolver uma "Análise dos Espetáculos" importa examinar criticamente a história do teatro, as idéias que motivaram seu processo, os agrupamentos que este gerou na sua dialética criativa e de gêneros, bem como as estruturas que o definem e os elementos que o constituem como obra artística, além de inseri-lo em suas variantes socioeconômicas e culturais. É o que Patrice Pavis empreende, a partir do enfoque que é o de investigar a pletórica riqueza metamórfica do fenômeno teatral por três crivos essenciais, a saber: O que é o espetáculo? Quem o faz? Quem o assiste? E o resultado enfeixado nas diferentes seções do presente livro representa uma instrutiva lição para o conhecimento, a reflexão e a prática da arte dramática não só atualmente em cena, como desde sempre... (J. G.)

ISBN: 978-85-2730-3965

Edição/Ano: 2ª edição, 2015

Paginas: 344

Encardenação: Brochura

Comprimento: 22,50 cm.

Largura: 12,50 cm.

Altura: 1,80 cm.

SUMÁRIO

 

Introdução ... XVII

 

PARTE I: AS CONDIÇÕES DA ANÁLISE

 

1. O Estado da Pesquisa ... 3

Balanço da Pesquisa ... 3

Antes da Semiologia: A Análise Dramatúrgica ... 3

Análise e Semiologia ... 4

Dois Tipos de Análise ... 5

A Semiologia: Ascensão e Crise ... 7

Limites da Semiologia Clássica ... 10

Novas Saídas ... 12

Questões em Suspenso ... 16

Experiência ou Reconstituição? ... 16

A Divisão ... 16

A Concretização Textual ... 17

O Estatuto do Texto ... 18

O Modelo Narratológico ... 18

A Questão da Subjetividade ... 19

O Não-Representável ... 20

A Renovação das Teorias ... 21

Teoria Produtivo-receptiva ... 22

Sociossemiótica ... 23

Entre Sociossemiótica e Antropologia Cultural ... 23

Fenomenologia ... 24

Teorias dos Vetores ... 24

 

2. Os Instrumentos da Análise ... 27

A Descrição Verbal ... 27

A Tomada de Notas ... 29

Os Questionários ... 30

Os Documentos Anexos ... 35

Os Programas ... 35

Os Cadernos de Encenação ... 36

O Material de Divulgação ... 36

O Paratexto Publicitário ... 36

As Fotografias ... 37

O Vídeo ... 37

O Computador e o Compact Disc ... 38

A Arqueologia do Saber Teatral ... 38

Arqueologia Teatral ... 38

O Arquivo Vivo ... 39

O Corpo “Midiado” do Espectador ... 40

Novas Tecnologias, Novo Corpo? ... 40

Intermedialidade ... 42

Incorporação das Mídias nas Artes Vivas da Cena ... 43

Ou bien le débarquement désastreux ... 44

 

PARTE II: OS COMPONENTES DA CENA

 

1. O Ator ... 49

O Trabalho do Ator ... 49

A Abordagem por uma Teoria das Emoções ... 49

Uma Teoria Global do Ator? ... 50

Os Componentes e as Etapas do Trabalho do Ator ... 52

Métodos de Análise da Atuação Cênica ... 56

Explicação de Gestos ou Vetorização do Desejo? ... 60

Os Diferentes Pontos de Vista sobre o Gesto ... 60

Explicação de Gestos: O Avarento ... 62

O Figural ... 79

Vetorização do Desejo e Trabalho do Gesto: O Exemplo de Ulrike Meinhof ... 81

Partitura e Subpartitura do Ator ... 88

Definições ... 88

Dois Tipos de Partitura ... 89

A Partitura e a Subpartitura: Síntese de seus Componentes ... 90

Síntese: O Sistema da Subpartitura ... 91

A Reposição do Corpo no Espírito ... 92

Para uma Estésica do Ator e do Espectador ... 93

O Exemplo de Terzirek ... 95

A Subpartitura Reconhecível pelo Espectador ... 95

A Experiência Estésica do Espectador ... 97

Análise Teatral, Análise Fílmica: O Exemplo de Marat/Sade ... 99

Condições da Análise ... 99

O Olhar do Analista ... 100

Processos Fílmicos ... 101

Procedimentos Teatrais ... 105

O Estudo do Ator ... 107

Ideologema da Indecidabilidade ... 110

Comentário das Fotografias ... 111

No Arco-íris das Artes do Corpo: Mímica, Dança, Teatro, Teatro-dança ... 115

Localização da Trajetória ... 115

Vetorização ... 116

Olhar Espectatorial ... 117

Tipos de Análise ... 119

 

2. Voz, Música, Ritmo ... 121

A Voz ... 121

O Aparelho Vocal ... 121

Fatores Objetivos ... 123

Fatores Subjetivos ... 124

Fatores Culturais ... 128

A Análise da Voz dos Atores ... 129

A Música ... 130

A Música no Interior do Espetáculo ... 130

O Efeito da Música sobre o Espectador ... 131

Funções da Música na Encenação Ocidental ... 132

O Ritmo ... 134

Ritmo Global e Ritmos Específicos ... 134

Ritmo e Tempo-ritmo ... 135

Ritmo e Duração Subjetiva da Representação ... 136

 

3. Espaço, Tempo, Ação ... 139

A Experiência Espacial ... 141

O Espaço Objetivo Externo ... 141

O Espaço Gestual ... 142

Espaço Dramático, Espaço Cênico ... 143

Outras Maneiras de Abordar o Espaço ... 145

A Experiência Temporal ... 146

Tempo Objetivo Exterior ... 146

Tempo Subjetivo Interior ... 147

Tempo Dramático, Tempo Cênico ... 147

A Experiência Espaço-temporal: Os Cronotopos ... 149

Tipologia Fundamental ... 151

A Integração das Percepções ... 152

Encadeamento dos Cronotopos ... 153

Os Cronotopos na Rede dos Vetores ... 154

O Deslocamento como Vetorização ... 154

A Vetorização Rítmica e sua Representação ... 155

Volta à Hipótese do Início ... 156

Um Woyzeck Anatomizado ... 157

 

4. Os Outros Elementos Materiais da Representação ... 161

O Figurino ... 163

Limites do Figurino ... 163

Organização das Observações ... 164

As Funções do Figurino de Teatro ... 164

O Figurino e o Resto ... 164

Figurino do Performer, Figurino da Personagem ... 167

Vetorização dos Figurinos ... 168

A Maquiagem ... 170

O Maquiado e o “Montado” ... 170

Topologia do Rosto ... 170

Traços e Funções da Maquiagem ... 171

O Inconsciente da Maquiagem ... 172

Protocolo de Observação da Maquiagem ... 173

O Objeto ... 174

Objeto Identificado, Não Identificado ... 174

Diferentes Graus de Objetividade ... 174

Categorias para Descrição ... 177

A Iluminação ... 179

Considerações Técnicas ... 179

Iluminação e Cor ... 180

Dramaturgia da Luz ... 180

A Iluminação e o Resto da Representação ... 181

Materialidade e Desmaterialização ... 181

O Olfato ... 182

O Tato ... 182

O Paladar ... 184

 

5. O Texto Impostado ... 185

Texto Posto em Cena, Texto Impostado ... 186

Texto Escrito, Texto Enunciado ... 186

Texto e Representação ... 189

O Estatuto do Texto Encenado ... 193

Autonomia ou Dependência do Texto ... 193

Especificidade do Texto Dramático ... 194

Tipologias da Encenação ... 197

O Tratamento do Texto no Espaço Público da Representação ... 201

Plasticidade do Texto ... 201

As “Circunstâncias Dadas” ... 202

A Vocalização ... 203

Os Fatores Cinestésicos do Texto ... 204

O Texto e os Signos Paraverbais ... 204

Duplo Sistema para a Percepção/Codificação/Memorização ... 206

Verbalização ou Figuralidade? ... 206

O Texto na Eletrônica Sonora ... 207

 

PARTE III: AS CONDIÇÕES DA RECEPÇÃO

 

1. A Abordagem Psicológica e Psicanalítica ... 213

A Gestalt ... 214

A Participação Factual ... 215

O Efeito Produzido ... 215

Teorias Relacionais ou Internacionais ... 217

A Identificação e a Distância ... 217

Mecanismos da Identificação ... 217

Modalidades da Identificação ... 218

O Distanciamento ... 219

Além da Identificação/ Distanciamento: O Exemplo do Butô ... 221

O Gosto da Identificação ... 223

A Identificação Masculina ou Feminina ... 225

O Corpo do Espectador ... 226

A Situação Concreta ... 226

Antropologia do Espectador ... 227

Os Prazeres do Espectador ... 227

Trabalho do Sonho, Trabalho da Cena ... 228

Sonho e Devaneio ... 228

Qual Lógica Inconsciente? ... 229

Operações do Trabalho da Cena ... 230

 

2. A Abordagem Sociológica do Espectador ... 237

Dramaturgia do Espectador ou Spectator in Spectaculo ... 238

Circunstâncias de Enunciação ... 238

Primeiras Impressões ... 238

Enciclopédia/ Conhecimento dos Códigos ... 241

Estruturas Narrativas: A Fábula ... 241

Estruturas Actanciais: A Ação das Personagens ... 242

Verificação Pragmática das Hipóteses ... 242

Estruturas do Mundo: Efeitos de Mimese ... 242

Estruturas Ideológicas ... 243

Sociologia da Representação ... 243

O Objeto da Sociologia ... 243

Do Indivíduo à Massa ... 244

Estudos-quadros para a Análise Sociológica ... 244

As Finanças do Espetáculo ... 248

Reavaliação da Análise Ideológica ... 249

A Estética da Recepção ... 251

Da Sociologia à Antropologia ... 254

 

3. A Abordagem Antropológica e a Análise Intercultural ... 257

Adaptar o Olhar e a Escuta ... 258

A Perspectiva do Outro ... 258

A Perspectiva Antropológica ... 258

Um Exemplo de Análise: A Dança Odissi ... 260

O Objeto da Análise Antropológica ... 262

A Prática Cultural Espetacular ... 262

A Cultura em Todas as suas Formas ... 263

Relações Culturais ... 264

Níveis e Percursos de Legibilidade ... 266

As Relações Pessoa/Personagem e Corpo/Espírito nas Diferentes Culturas ... 269

Metodologia da Análise Antropológica ... 272

A Etnocenologia ... 272

Deslocamento das Questões ... 273

Teoria das Trocas Culturais ... 273

Reequilíbrios da Análise Antropológica ... 274

Reequilíbrios: O Exemplo de Heiner Goebbels ... 280

O Olhar Antropológico ... 283

Conclusões: Quais Teorias para quais Encenações? ... 287

A Avaliação da Encenação ... 288

Critérios da Avaliação ... 288

Os “Erros” da Encenação .... 289

O Sistema da Encenação ... 289

Retorno do Autor e da Autoridade? ... 291

Tarefas Antigas e Novas do Encenador ... 292

Limites da Análise, Limites da Teoria ... 294

Reavaliação da Teoria ... 294

Referenciação da Semiologia Integrada ... 297

Condições da Análise ... 297

Contra o Relativismo Pós-moderno ... 298

Pluralismo Metodológico e Não Ecletismo ... 300

Mudança de Paradigma ... 301

Teoria e Análise do Ponto de Vista da Prática ... 302

A Semiologia Integrada na Encruzilhada das Teorias e das Práticas ... 305

Um Oximoro Teórico para uma Produção Cênica Ilimitada ... 305

A Antropologia, Sucessora da Semiologia ... 307

 

Concluir? ... 308

Bibliografia ... 311

Índice de Noções ... 321

0 Opiniões:

OPINE

Envie uma Opinião

Faltam 120 caracteres Coloque seu nome e e-mail. As críticas sem assinatura não serão publicadas.